Seguir por e-mail

sábado, 12 de março de 2011

Intimidade #1

Nas relações a intimidade nos permite muitas coisas, por exemplo: dizer o que pensamos sem preocupação de ser mal entendido, mal interpretado, afinal somos intimos e o outros nos perdoará com facilidade.

Entre pais e filhos, a intimidade nos permite contar segredos nunca antes revelado: "Então, ontem, mãe, eu saí com aquele carinha legal que te falei, e rolô, sabe? Aconteceu... transamos! foi irado..." E o pai: "Filha, eu e sua mãe não estamos nos dando bem e eu encontrei uma pessoa legal, e agora vamos morar juntos e tal... é sua amiga de infância, a Bia" \o/

Pois é, a intimidade é uma tanto quanto intrometida: "Oh, meu irmão, até semana passada essa república só tinha 5 moradores, de onde surgiu esses outros 10 moradores?"

E é um tal de "pum", "arroto", ir no banheiro de porta aberta, comer na sala, vestir cueca furada e camiseta rasgada... uma lista de coisas que não faríamos sem a intimidade.

Para ilustrar esse intimidade, segue um vídeo:

4 comentários:

  1. No princípio, homem e mulher procuram se mostrar elegantes, procuram esconder seus defeitos ao máximo. A meta principal é a conquista de um entendimento mútuo. A proximidade e a sensação de que não existe nada mais importante no mundo, do que a pessoa de seu interesse. O desejo de unificar tudo e de juntar tudo,vai aos poucos se tornando mais e mais forte. Então, tudo é hesitação. Tudo é temor, medo de perder, e de sofrer a perda. Seria isso o amor? Ou a necessidade absoluta de ter alguém... O entendimento é um caminho complexo e repleto de discordâncias. Uma relação saturada e deselegante, é o exemplo do vídeo. não consegui ver a cena por mais de dez segundos. Talvez esse casal esteja destinado ficar junto para o resto de suas vidas, por se aceitarem mútua e deselegantemente. O relacionamento passa a se desgastar a partir destes pequenos detalhes... O desinteresse e a despreocupação com o mistério que outrora era uma condição... O que pode ser agradável aos olhos ou aos sentidos... Creio que certos parâmetros não deveriam ser rompidos, eles servem para fortalecer o desgaste das relações. Coisas que a mulher passa a detestar no homem, coisas que o homem passa a detestar na mulher esse tipo de cena não me agrada.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Silveira, obrigada por dar a sua opinião. A proposta do blog é exatamente essa, provocar reflexão sobre as relações e identificar as diversas formas de perceber características peculiares dos relacionamentos. Espero ver mais vezes por aqui e assim poder mater uma ótima relação com você! bjs

    ResponderExcluir
  3. É Dani, tá aí um detalhe de uma relação que quando concedido, é quase impossível de ser retirado: a intimidade! Geralemtne ela é uma conquista, onde um ou ambos a procuram, e um ou ambos a concede (geralmente de maneira nem perceptível), quando damos conta, já foi... E esse caminho de manter o laço com o outro, na presença de intimidade, é um tanto quanto cheio de obstáculos, principalmente quando este ser "íntimo" nos magoa. O processo de perdão, na presença da intimidade, pode até ser mais fácil, mas a ferida aberta por um íntimo é muito maior, profunda, e dolorida que por um outro alguém. Creio eu, que é devido a intimidade trazer consigo uma idéia moldada do outro, ou seja, quando o outro nos é íntimo, muita vezes julgamos saber seus limites, e dizer que o conhecemos, e quando este, tem uma atitude em desacordo do que esperávamos dele, e chão se abre debaixo de nossos pés. É só um dos preços que pagamos pela intimidade que surge nas relações. Contudo, no meio da multidão em que estamos inseridos, é impossível não ter intimidade com ninguém, a ponto de não viver e pagar todos os preços (que nem sempre são só ruins) por vivê-las. Isso se chama viver.

    Bjo.!
    (Sabe o quando sou seu fã)

    ResponderExcluir
  4. Wagner, que bom tê-lo por aqui, meu ex-aluno e eterno amigo. Saudades demais.
    O seu comentário me faz refletir que buscamos tanto ser íntimo das pessoas, principalmente, daqueles que desejamos passar a vida com, que qdo conquistamos essa intimidade descobrimos que éramos mais felizes sem ela, talvez pelo que disse Silveira no seu comentário, a intimidade faz perder toda graça da surpreza, do desconhecido.
    Acredito que até para a intimidade precisamos dar limites, rs.
    bjs...

    ResponderExcluir

Vou adorar saber o que achou, comente!