Seguir por e-mail

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Relações Familiares

Oi, pessoas queridas, quanto tempo não discutimos a relação por aqui. Desculpem-me, mas estava envolvida com outras atividades e acabei dando um tempo, mas com muitas saudades resolvi dar uma passadinha!

Final de ano chegando, me bateu aquela nostalgia, sabe, "do tempo em que eu era uma criança e pensava que a vida fosse um favo de mel", rsrsrs. Este período que antecede as festas, que vamos para as lojas comprar os presentes dos familiares, que ficamos planejando o que faremos nas vésperas e dias de Natal e Ano Novo, me fazem ter saudades da família, relembrar bons momentos, me sentir criança de novo. Até mesmo os acontecimentos ruins, como a morte do meu avô materno há uns anos atrás na véspera de ano novo, me fazem parar para refletir sobre o lado bom da vida, as experiências inesquecíveis que passamos juntos a esse grupo de pessoas tão especiais que é a FAMÍLIA.


A relação familiar é muito interessante, temos aquela família que Deus escolheu para nós: a dos nossos pais; a família que nós escolhemos: do marido/esposa; a família que constituímos: marido/mulher e filhos e a família que de repente descobrimos ter: dos amigos.

Cada família tem as suas peculiaridades, suas diferenças, mas algumas coisas todas tem em comum: tios que são como pais, primos que são como irmãos, sobrinhos que são como filhos; aquela pessoa que só aparece para filar a boia, aquele que faz a boia; aquele primo que não deixa você paquerar na boate e aquela prima que faz questão de ir com você a boate; um irmão birrento, um irmão travesso; aqueles que não esquecem o nosso aniversário, aqueles que confundem o nosso aniversário com os de outros parentes; tem também o colo da avó, do avô, dos avós dos primos que nem são seus avós; os tios que não são irmãos dos seus pais, mas que chamamos de tios; aqueles primos de 3º grau que são como de 1º; os parentes de outras cidades que só vemos no final de ano, que visitamos nas férias; aqueles que trazem a cerveja e os que tomam a nossa cerveja; aquele cunhado mala, mas que amamos; aquela cunhada que temos ciúmes; aqueles que adoram falar do passado e aqueles que fazem questão de esquecer; as discussões intermináveis que sabemos que não vão chegar a lugar algum; as crianças brigando pelos brinquedos, os adolescentes pelos paqueras e os adultos pelas lembranças de quando brigavam pelos brinquedos e pelos paqueras; um primo preferido, uma tia preferida; sogra, sogro e com eles aquelas piadas maldosas; amor, saudades; mentiras, verdades; brigas e reconciliações.

Assim são as famílias, adoram falar um do outro, mas odeiam quando um outro resolve falar delas. Amam os que são de sangue e aqueles que os de sangue trouxeram para fazer parte delas. Algumas são pequenas, outra médias e outras enormes. Algumas são calmas, outras são harmoniosas e outras adoram fazer festa. Quem tem reclama, quem não tem quer ter.

Família é bom demais, tem coisas boas e ruins, tem gente boa e gente ruim, tem chá da tarde, churrasco, tem com quem contar, tem diferenças e tem união.

Beijos... e boas relações familiares!!!